Com a população cada vez mais preocupada com o meio ambiente, as empresas precisam se ater aos compromissos com o meio ambiente. A logística reversa é um dos instrumentos que podem ser utilizados pelas empresas para destinação correta dos seus resíduos, preservando o meio ambiente e se diferenciando da concorrência.

A crescente geração de resíduos somada a sua destinação incorreta faz com que muitos desses materiais sejam dispostos em aterros sanitários e lixões. 

O que são resíduos? A população em geral chama de lixo todo material que não possui mais utilidade. Porém, no ambiente técnico, esse termo não é utilizado, o lixo é composto por resíduos e rejeitos. O resíduo é todo material descartado que possui alguma utilidade e pode ser reciclado ou reutilizado, devendo ser destinado a um lugar correto. Já o rejeito é todo material descartado que não possui nenhuma possibilidade de reutilização ou reciclagem, apenas esse material deve ser destinado ao aterro sanitário. 

O que acontece hoje é que devido ao mau gerenciamento, grande parte dos resíduos acabam parando em aterros sanitários que estão cada vez mais lotados, ou lixões que já estão proibidos em nosso país.

Alguns tipos de resíduos, chamados de resíduos perigosos, quando em contato com o meio ambiente produzem substâncias tóxicas. A destinação desses produtos é responsabilidade das empresas fabricantes, que através da logística reversa devem criar as condições necessárias para que os consumidores devolvam os resíduos gerados após o consumo.  

O que é logística reversa?

O conceito de logística reversa foi instituído em 2010, na Política Nacional de Resíduos Sólidos, como um “instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada”.

Significa o que o nome realmente diz. Logística é todo o processo de um produto, desde sua fabricação na indústria, o transporte, armazenamento e distribuição, até o consumidor final. Já a logística reversa é o contrário, o produto consumido, após seu uso, deve retornar ao fabricante.

É um trabalho conjunto para que os resíduos retornem aos seus fabricantes para serem reutilizados, reciclados ou descartados de maneira correta, e não destinados a lixões ou aterros sanitários, auxiliando na preservação do meio ambiente. 

Como funciona a logística reversa?

A logística reversa pode ser empregada em qualquer tipo de produto, mas deve-se dar uma maior atenção aos resíduos classificados como perigosos. Quais são esses produtos?

  • agrotóxicos, resíduos e embalagens;
  • baterias e pilhas;
  • pneus;
  • óleos lubrificantes, suas embalagens e resíduos;
  • lâmpadas de vapor de sódio e mercúrio, luz mista ou fluorescentes;
  • mercadorias eletroeletrônicas e seus componentes;
  • produtos comercializados em embalagens de plástico, metal ou vidro.

Para que a logística reversa funcione, os fabricantes devem criar formas de receber os resíduos dos produtos após o uso. O processo começa com o consumidor retornando o produto já utilizado em algum ponto de coleta especificado pelo fabricante. Cabe ao fabricante coletar esses resíduos e dar uma destinação correta, se possível aumentando o ciclo de vida do material. 

Já o governo, tem alguma responsabilidade nesse processo? Sim! Deve auxiliar na educação ambiental dos consumidores, fiscalizar o cumprimento da logística reversa e fazer acordos para facilitar o processo. 

Em Santa Catarina, o Instituto do Meio Ambiente lançou no final de 2019 o projeto “Penso, logo existo” para a conscientização e envolvimento da população no descarte correto dos resíduos sólidos. O Estado vai ser o primeiro no Brasil a fazer a articulação da logística reversa como mediador entre a população, comerciantes, municípios e entidades gestoras. 

Mas afinal, qual a importância da logística reversa para as empresas?

A logística reversa pode trazer diversos benefícios para as empresas como:

  • Reaproveitamento de matéria prima, diminuindo custos e evitando desperdícios.
  • Mudança de visão perante o consumidor que está cada vez mais engajado com as questões do meio ambiente.
  • Cumprimento da lei evitando multas e punições.
  • Proteção ao meio ambiente.
  • Diferencial perante a concorrência, podendo utilizar estratégias de marketing verde.

É dever de todos – população, empresas e governo – auxiliar no processo de gerenciamento de resíduos. A população com a separação e destinação correta, as empresas com planos de gerenciamento compatíveis com seu segmento, e o governo com políticas e meios para destinação correta dos resíduos. Cada um fazendo sua parte para preservação do meio ambiente.

Gostou do conteúdo? Não perca os próximos conteúdos do nosso blog.

Iniciar conversa
Olá! Me chame aqui se precisar :)
Olá! Estou aqui à disposição para esclarecer suas dúvidas, é só chamar!